IPBeja - Instituto Politécnico de Beja

 
 
Programa de Combate ao Sedentarismo
e Promoção da Actividade Física
 Pratica Actividade Física:
"30 minutos por dia não sabe o bem que lhe fazia" 

 

O que é o “Bora lá Mexer”?

O programa “Bora lá Mexer” foi criado e desenvolvido no Gabinete de Apoio à Actividade Desportiva, este, visa essencialmente a promoção da actividade física e o combate ao sedentarismo, procurando proporcionar à comunidade do I.P.Beja uma prática regular e orientada de diversas Actividades Físicas e Desportivas, tornando-a numa atitude quotidiana para a maioria das pessoas.

Melhorar a saúde e a qualidade de vida da comunidade escolar do I.P.Beja e o nosso objectivo, cujo lema é “30 minutos por dia não sabe o bem que lhe fazia”.

 

Porque surgiu?

O programa “Bora lá Mexer” surgiu devido a um cada vez maior numero de pessoas sedentárias e onde a nossa realidade no I.P.Beja não foge à regra.

 

Porquê o nome “Bora lá Mexer”

                Porque transmite acção, movimento, dinamismo de uma forma clara e concisa e simultaneamente utiliza-se uma linguagem muito familiar à comunidade estudantil.

 

A Mascote

                O nome da mascote é o “BUGA”

 

Objectivos do programa:

  • Incrementar o conhecimento da população sobre os benefícios da actividade física;
  • Desenvolver um ambiente social que encoraje a adopção de um estado de vida activa por parte da população;
  • Diminuir o número de indivíduos sedentários no Instituto Politécnico de Beja;
  • Mobilizar a população sedentária para a prática regular da actividade física;
  • Implementar campanhas de sensibilização sobre os benefícios da actividade física;
  • Promover a criação/manutenção de hábitos ligados à prática física e desportiva;
  • Envolver o meio familiar dos indivíduos do I.P.Beja para a prática da actividade física;
  • Autonomizar a comunidade escolar para a actividade física, através de disseminação de informação/educação.

 

Porquê promover a actividade Física?

                Actualmente o estilo de vida das pessoas é essencialmente sedentário, em todos os níveis, hoje em dia, as pessoas na maior parte do tempo não se movimentam e quando se movimentam fazem-no em intensidade insuficiente para gerar benefícios e este modo de vida traduz-se em enormes riscos para a saúde

                É este sentido que procuramos promover a Actividade Física (A. F.), porque todos nós temos que compreender que pessoas precisam de ser activas para serem saudáveis.

Está cientificamente provado que a actividade física, praticada de uma forma regular, tem efeitos benéficos na saúde geral, sabendo-se que quando associada a uma boa condição cardiorespiratória, se verifica uma diminuição da taxa de mortalidade.

 

O que ganha com a A. F:

Riscos do sedentarismo

Benefícios sociais e colectivos da A. F.

Saúde

Morte prematura

Mortalidade

Qualidade de vida

Doenças cardíacas

Morbilidade

Mobilidade

Obesidade

Doenças crónicas

Auto-estima

Hipertensão arterial

Doenças cardiovasculares

Energia

Diabetes tipo II

Despesas de saúde

Independência funcional

Osteoporose

Independência funcional

Músculos e ossos mais fortes

Ataque cardíaco

Absentismo

Melhor postura e equilíbrio

Depressão

Produtividade

Melhor controlo de peso

Cancro do Cólon

População saudável

Menos stress

 

Melhor qualidade de vida

 

No entanto, para se obterem os efeitos benéficos descritos é necessário que a actividade física seja praticada de forma regular. As recomendações actuais referem que se deve acumular pelo menos 30 minutos de actividade física de esforço moderado, quase todos os dias da semana. Quanto mais actividade física fizermos, melhores serão os benefícios, sendo no entanto preferível pouca actividade a nenhuma!

 

A quem se dirige e o objectivo para cada um de nós?

                O programa “Bora lá Mexer” dirige-se a toda a comunidade do I.P.Beja, porque praticar e promover a actividade física está ao alcance de todos. Esperando que o programa desencadeie efeito multiplicador e que todos adiram ao objectivo de tornar o I.P.Beja mais activo e com maior qualidade de vida.

De acordo com as recomendações dos especialistas mundiais, o objectivo é fazer no mínimo 30 minutos de actividade física moderada por dia, 5 vezes por semana. Este objectivo pode ser alcançado apenas por aproveitar as oportunidades para ser mais activo nas suas actividades diárias de rotina. E pode fazê-lo em períodos de 10 minutos separados. Acredite que vai fazer diferença na sua saúde!

 

Reflexão

                Cerca de 2 milhões de mortes em todo mundo, são atribuídas ao sedentarismo e à inactividade física, número este que tende em aumentar com o passar dos anos. No nosso país, 70% da população é inactiva, com reduzida aptidão física e tendencialmente com excesso de peso (Mexa-se, 2001). No Instituto Politécnico de Beja, 51,4% dos alunos não praticam qualquer modalidade desportiva ou actividade física (G.A.A.D., 2004).

                Perante estes dados, conclui-se, que se torna cada vez mais urgente sensibilizar as pessoas para a importância da promoção actividade física e para o combate ao sedentarismo. É do conhecimento de todos nós que a actividade física está associada a uma vida mais longa e saudável, tendo menos riscos de contrair doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes, obesidade, alguns tipos de cancro e ao melhoramento da imagem.

                American College of Sports Medicine (ACSM) recomenda que a prática de actividade física deve ser realizada pelo menos 3 vezes por semana e/ou pelo menos 30 minutos diários (contínuos ou por sessões).

Com a intenção de contribuir para a redução da elevada taxa de sedentarismo diagnosticada no seio da comunidade educativa do IPB, o Gabinete de Apoio à Actividade Desportiva criou O programa “Bora lá Mexer, procurando, desta forma, proporcionar a todos uma prática regular e orientada de diversas Actividades Físicas e desportivas. Bem como incrementar o conhecimento sobre os benefícios da actividade física e desenvolver um ambiente social que encoraje a adopção de um estado de vida activa por parte da população.

©2011 - Instituto Politécnico de Beja
Ficha Técnica
Ficha Técnica