IPBeja - Instituto Politécnico de Beja

(versão inglesa) 

Ana Isabel

Licenciada em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.
Entidade Empregadora: Magnética Magazine.

Actividade Profissional: Membro da equipa editorial da revista digital Magnética Magazine.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R:Aprender a definir prazos, trabalhar sob pressão por vezes, ser criativo q.b. quando se tem de ser, são tudo aspectos que vamos desenvolvendo e qualidades e hábitos que adquirimos durante o nosso percurso académico.

2.O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Acho que qualquer pessoa que se dedica e faz uma licenciatura, leva sempre consigo algo, e o facto do curso de Artes Plásticas e Multimédia nos possibilitar um estágio no último ano, prepara-nos logo para um mundo profissional que não temos tanta noção enquanto alunos. É uma mudança grande, e nisso acho que o nosso curso nos tenta preparar muito bem, para que a inserção no mercado de trabalho seja algo mais fácil de encarar. No que diz respeito à área específica, nem sempre é fácil ter um emprego fixo quando se vem de uma área artística, mas o importante é sempre jogar com aquilo que temos, e sermos bons em várias coisas, em vez de sermos apenas numa.

3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: Design de Moda, ilustração e redação.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?
R: Para além de todas as amizades que se criaram e cresceram em três anos, muitas delas que continuarão, é sempre bom recordar o stress da entrega de trabalhos, e o alívio final quando já estávamos despachados. Os jantares de curso, as gargalhadas e os choros foram momentos que ficarão sempre, tal como todos os conselhos, repreensões e "carinho" dos responsáveis por ensinar o que aprendemos, não só professores, mas também funcionários, e claro, as próprias experiências que vamos trocando com os colegas, que a meu ver têm sempre algo para nos ensinar.


André Pinto

http://apinixfolio.no.sapo.pt/

Licenciado em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.
Entidade Empregadora: AGAP2 | http://www.agap2.com

Actividade Profissional: Consultor Informático.

Consultor na Empresa AGAP2.
Outsourcing para a TAP Portugal.
O trabalho é desenvolvido numa empresa interna da TAP Portugal, a MEGASIS (http://www.megasis.pt/pt/entrada.html). O departamento onde estou alocado é o CATFP (Centro de Apoio Técnico Funcional e Pedagógico) onde desenvolvo conteúdos dinâmicos para cursos de e-Learning. Este departamento opera sob a alçada da MEGASIS e da TAP Serviços. Funciona com clientes, estes que fazem parte exclusivamente de áreas departamentais constituintes da TAP.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R:Toda a experiência adquirida durante o curso foi preponderante para todo o desafio que encontro hoje. Foi uma constante construção cognitiva. Cada tempo gerido para cada tarefa e empenho direccionado para as áreas mais interessantes sempre foram transparentes em mim e é engraçado chegar hoje onde estou devido a essas pequenas escolhas. Tão importante como o tempo de escola é o tempo que se dedica em casa.
Portei-me menos bem em áreas que não me aliciavam tanto, por escolha, e dediquei-me a outras com mais afinco. Nunca fui um aluno exemplar mas confio plenamente no que aprendi em tempo de Licenciatura. Gostaria que o curso tivesse sido mais exigente de forma homogénea. Contudo, sou hoje um aluno orgulhoso do curso de Artes Plásticas e Multimédia.

2.O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Foi facilitador na medida em que apresenta credibilidade e credencial na área. Em termos de ingresso foi a experiência e o conhecimento criado que me fez chegar onde estou.

3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: A área onde mais me sinto preparado é o Design/Web-Design mas sinto-me motivado em áreas como pós-produção de vídeo, modelação arquitectónica de espaços 3D, e criação de aplicações interactivas com uso simbiótico de tecnologias/ferramentas recentes.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?
R: Da Tuna; - das Praxes; - dos arraiais; - das caloiras; - dos caloiros; - das saídas à noite; - dos dias de manhã depois dessas saídas; - da sempre presente Gisélia Maria Monteiro Branco e o seu riso de rato; - da Catarina Duque com o seu mau feitio, mas mais doce rapariga; - do Rico e Dré “DJembé” Raposo; - dos elásticos de cabelo que encontrei por cada ano de Universidade; - Do Renault 5 que não desamparava a Loja por nada; - Da Natália Czajka parecer um espanto mesmo grávida; - Das discussões saudáveis com o Professor Aldo; - Do olhar de avaliação não vacilador da Professora Viviane; - Da fotografia da Professora Patrícia que parecia substancialmente mais nova, e do cinto dourado corroborar com a bandulete no seu vestido preto; - dos óculos redondos com largas chapas de metal do Professor Baiõa; - Do Professor António Inverno me chamar de malandro às 4h da matina na Praxis; - de tentar agradar a Professora Cristina e não me sair muito bem sem saber porquê...



Joel Romeira

Licenciado em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.
Entidade Empregadora: LPR Comunicação Visual.

Actividade Profissional: Designer e Web Designer.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R: O meu desempenho profissional foi influenciado em muitos aspectos por todas as competências adquiridas no Curso, conseguindo assim ter ritmo e competência para desenvolver qualquer tarefa dentro da aréa de trabalho.

2. O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Sim, o Curso de Artes Plásticas e Multimédia contribuiu e muito para a minha entrada no mercado de trabalho.
 
3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: Fotografia, Design Gráfico e Web Design são as áreas em que actuo e me sinto mais à vontade para realizar com rapidez e qualidade qualquer trabalho.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?

R: Um espírito de amizade e entreajuda enorme e com muita diversão e criatividade à mistura.

 



Jorge Branco

Licenciado em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.
Entidade Empregadora: Gabinete de Imagem da Câmara Municipal de Mértola.

Actividade Profissional: Assistente Técnico de Fotografia na Câmara Municipal de Mértola, a desempenhar funções de designer de comunicação e fotógrafo.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R: A frequência do Curso de Artes Plásticas e Multimédia permitiu melhorar o meu desempenho profissional quer nos tempos de resposta quer na agilização de processos devido a um melhor conhecimento das técnicas e ferramentas e das suas potencialidades.

2. O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Tendo em conta que já exercia funções dentro da área e que estas se mantiveram nos mesmos moldes, não me é possível fazer essa afirmação.
 
3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: Fotografia.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?

R: Coincidiu com um período algo atribulado na minha vida mas que acabou por ser muito gratificante não só em termos académicos mas também pessoais. A boa relação com os colegas assim como com os docentes facilitou a tarefa por vezes pesada de ser trabalhador estudante.

 



Joaquim Sousa

Licenciado em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.
Entidade Empregadora: Puff- Power (sócio-gerente).

Actividade Profissional: Empresário no ramo da reutilização de lonas publicitárias, criação de produtos de design, decoração e acessórios de moda.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R: Só com alguns dos conhecimentos e competências que adquiri no curso foi possível concretizar este projecto que acaba de ser aprovado pelo IEFP.

2. O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Sim. O meu estágio curricular foi muito importante. Fui extremamente bem orientado e isso foi uma grande ajuda, uma experiência bastante rica.
 
3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: Design de Produto.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?

R: Só lembranças boas. Foi uma experiência muito gratificante, principalmente no aspecto humano. Os conhecimentos foram importantes, mas as pessoas e a escola valeram muito. Uma experiência única.

 


Rossana Torres

Licenciada em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.

Actividade Profissional: Realizadora e Professora de Fotografia e Audiovisuais.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R: Maior exigência conceptual e maior capacidade organizativa.

2. O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Sim e não. Sim, porque ganhei maior confiança para me propor como autora e/ou colaboradora em obras de carácter artístico e outras. Não, porque perdi algumas oportunidades de exercer a docência, visto não ter estado tão disponível durante os três anos que frequentei o curso.

3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: As áreas continuam a ser as mesmas de antes de fazer o curso ou seja, docência, fotografia, realização, imagem, som, vídeo e orientação de ateliers de cinema de animação. Uma nova área (que exige uma grande responsabilidade numa equipa de cinema ou televisão) surgiu entretanto que foi a função de assistente de realização. Trabalhei no filme documental “Balsa, memória flutuante” de José Manuel Lopes e nos videoclips do álbum “Matriz” de Teresa Salgueiro. Tenho tido novas propostas nessa área.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?

R: De três anos de muito trabalho (principalmente o último visto não ter deixado nunca de ser trabalhadora-estudante), de bons momentos de partilha de conhecimentos, principalmente com alguns colegas, e de alguma nostalgia por ter acabado tudo tão subitamente.


Sara Castanho

http://saracastanho.com

Licenciada em Artes Plásticas e Multimédia pelo Instituto Politécnico de Beja.

Actividade Profissional: Ilustradora freelancer.Colaboradora no Projecto Rua de Baixo - Revista online sobre lifestyle e cultura alternativa.

Entrevista:

1. Como avalia o seu desempenho profissional tendo em conta as competências adquiridas durante o curso de licenciatura?

R:Acredito que o meu desempenho tem como base a organização e a responsabilidade no que diz respeito a cumprir prazos e tarefas. Uma competência que adquiri durante os três anos de Licenciatura e que julgo ser uma mais valia tanto a nível profissional, como pessoal.

2.O carácter profissionalizante do Curso de Artes Plásticas e Multimédia foi facilitador da sua inserção no mercado de trabalho, na vida profissional/académica?

R: Sim, devido à variedade de disciplinas e metodologias aplicadas ao plano de estudo do Curso. Penso que actualmente é determinante sabermos fazer um pouco de tudo em várias áreas e a vertente artística não é excepção. Por outro lado, existe a necessidade de especialização numa só área onde sejamos realmente bons. Mas tudo depende de nós e também do mercado em que nos queremos inserir.

3. Para que área se sente mais preparado/motivado e habilitado para desenvolver a sua actividade profissional/artística?

R: A minha área de conforto é sem dúvida a Ilustração, mais especificamente a Colagem Artística porque é com o papel e a tesoura que tenho mais afinidade. No entanto envergar por outro caminho e apostar na Comunicação Visual e Multimédia – áreas que a meu ver, são e irão continuar a desempenhar um papel importante na nossa sociedade.

4. Que memórias guarda da sua vida académica em Beja?
R: Ui, guardo muitas! Não todas porque não consigo guardá-las todas em caixas aqui em casa mas as que tenho são dos melhores anos da minha vida. Recordo-me de ter conhecido pessoas fantásticas e de me ter conhecido a mim também, devido aos desafios e obstáculos com que me deparei. Beja não foi a minha primeira opção e agora é, por tudo o que lá encontrei e passei..


©2011 - Instituto Politécnico de Beja
Ficha Técnica
Ficha Técnica